DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS

Direto vejo por aí algum link (ou artigo em revista, etc) que fala sobre coisas que homens não gostam nas mulheres. Ou coisas que homens gostam nas mulheres. Links que nos dizem para usar muita maquiagem. Ou não usar nenhuma. Para ceder às vontades deles. Para não ceder. Para ousar, não ousar, ligar na hora do trabalho, não ligar, expressar nossa opinião com cuidado, não expressar de forma alguma, usar calcinha grande, usar calcinha pequena. Isso quando algum macho não resolve vir falar pessoalmente –  sem a gente nem perguntar – o que acha da nossa aparência, corpo, personalidade, etc. Recebemos mensagens diferentes o tempo todo, algumas delas até mesmo divergentes entre si. Mas todas dizem uma mesma coisa: que devemos nos preocupar com a opinião dos homens sobre nós.

Olha minha cara de preocupada kkkkk

Olha minha cara de preocupada kkkkk

O post de hoje vai ser o contrário. Eu poderia falar sobre combinações desastrosas que alguns homens fazem, como papete e meias ou pochete e sunga, mas nossas urgências, infelizmente, vão muito além disso. Ao contrário de alguns deles, nosso maior problema não é unha, cabelo, bigode ou a porcaria de uma conta de restaurante. Então aqui vai o incrível post sobre as DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS:

1) NÃO AJUDAM NAS TAREFAS DOMÉSTICAS

Mulheres acabam fazendo jornadas duplas – e até mesmo triplas – de trabalho porque, além de inseridas no mercado, a responsabilidade de cozinhar, manter a casa limpa e cuidar de filhos cai toda sobre elas. Logo, o que vemos são mães, filhas, irmãs e/ou esposas completamente sobrecarregadas enquanto muito homem não consegue nem colocar suco no próprio copo ou lavar um garfo sujo. Não basta ajudar em uma coisa ou outra de vez em quando, cada um tem que no mínimo cuidar do que lhe diz respeito e dividir o resto de forma justa.  Cuidar, lavar, cozinhar e limpar cansa — e muito. Rapazes, saiam do videogame e comecem a esquentar o próprio Toddy. Consigo detectar vocês, os famosos fidivó, até mesmo em almoços entre amigos: geralmente são os que acham que o mundo é uma extensão de suas casas e vontades e ficam esperando que tudo fique magicamente pronto e limpo.

Sobre pesquisa “Trabalho remunerado e trabalho doméstico no cotidiano das mulheres”: “Uma outra questão que a pesquisa traz é que quando os homens estão em casa eles aumentam as tarefas de trabalho das mulheres. Aumentam a demanda do trabalho doméstico ou que então atrapalham sua realização” — Leia mais aqui.

2) DÃO CANTADAS, BUZINADAS & AFINS

Rolou a campanha Chega de Fiufiu, do Think Olga (que em breve vai virar documentário), o vídeo da garota que foi importunada 100 vezes ao andar pelas ruas de Nova York durante dez horas, e mais um monte de coisa. O assunto está sempre em pauta. Reclamamos o tempo todo das cantadas de rua. Elas são grosseiras, ofensivas e, mesmo quando proferidas por meio de belas palavras, são um saco. Nós, mulheres, andamos na rua porque precisamos ir à lugares ou queremos passear. É simples! Ás vezes estamos felizes, outras tristes, ás vezes com pressa e de mau humor. No geral, gostaríamos apenas de ficar em paz. Só que sempre tem um homem (um não, vários) que nos “percebe” e transforma qualquer simples caminhada em um tormento. Essas cantadas são muito mais intimidantes que gentis, quase como uma demarcação de espaço, uma lembrança de que o mundo, para nós mulheres, é ainda mais perigoso. E as buzinadas? Ah, basta ser mulher e andar a pé para levar buzinadas e cantadas de todo tipo (tem carro que joga até luz alta na nossa cara). Além da ofensa em si, cantadas são incômodas porque acionam outros medos: de abuso, estupro, assassinato e outras violências. E eu não digo isso por achismo: eu vivo isso todos os dias. Mas ainda assim, muitos homens tentam justificar esse tipo de coisa o tempo inteiro. E continuam importunando mulheres por aí.

thinkolga

3) SE ORGULHAM DE SER ~POLITICAMENTE INCORRETOS~

Tem aquele ~humorista~ (não vou nem perder tempo citando nomes) que achou super engraçado dizer que estuprador de mulher feia merecia abraço e “comeria” uma cantora famosa grávida e o bebê. Tem aquele outro que ofereceu uma banana a um internauta negro e depois quis acionar o mito da democracia racial com um blábláblá sobre o mundo ser uma caixa de lápis de cor, tentando apagar o fato de que “macaco” é sim um xingamento historicamente usado contra pessoas negras. Tem aquele “conselheiro de relacionamentos” (cof, cof, ótimo eufemismo, hein?) do exterior que acha que humilhar mulher é técnica de sedução. Etcetcetc. A internet nos mostra, diariamente, mil exemplos de homens que seguem esse tipo de comportamento, achando que são super rebeldes, engraçados, chocantes, uau. Deixa eu contar uma coisa, se vocês acham que estão subvertendo alguma coisa perpetuando misoginia, machismo, homofobia e racismo, trago más notícias: vocês estão é colaborando para deixar as coisas do jeitinho que estão. São servos do status quo, nada além, e podemos entender o porquê, né? É intencional. Querem posar de autênticos ou divertidões, mas não querem abrir mão de privilégios. Bradam contra a corrupssaum11!! e clamam por ~mudanças~ (desde que não sejam do tipo que coloquem o filho da empregada doméstica na universidade) só pra disfarçar que, em muitos casos, tudo está bem – e até demais – pra vocês.

laerte

4) PAGAM DE ENGAJADOS (OU “A CASA CAIU, FEMINISTO”)

Tem muito homem (hetero, gay, bi, etc) que consegue entender questões feministas. Eles geralmente manjam de teorias e sabem discutir com certa coerência. Tem muito homem que se diz pró-feminismo, pró-isso, pró-aquilo, mas, na prática, menospreza demandas de grupos minoritários dos quais ele não faz parte, tenta definir quais pautas ele considera mais importantes, acoberta colegas agressores e tenta justificar as agressões (isso quando ele mesmo não é o agressor), se infiltra em espaços de articulação de lutas e ideias com o intuito de liderar e alimentar o próprio ego, trata opiniões e sentimentos de mulheres com indiferença, isola e difama quem for “perigosa”, prega o ~poliamor~ e outras práticas ~livres~ apenas para se isentar de responsabilidades e cuidados com outras pessoas, mistura frustração sexual com política e influência com coação, etc, etc, etc. Aprendi, depois de quebrar a cara algumas vezes com diversos homens (e que já foram inclusive defendidos por mim – quem nunca iuzomou que atire a primeira pedra), como é fácil simular um discurso. E é benéfico pro cara. Ele não apenas paga de engajado, como ainda ganha estrelinha por ser, awn, tão bonzinho. Porém, acaba sendo muito do que ele mesmo critica. Pra esse tipo, nossas causas são meros fetiches intelectuais.

sexy

ZzzzzzzzzZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzzz………………….

5) RECUSAM O USO DO PRESERVATIVO

Estatísticas mostram que homens são resistentes em relação ao uso do preservativo. Basta uma googlada para ter acesso a dados diversos e dicas sobre como ~convencer~ o cara usar camisinha, aff. Cem entre cem mulheres que já conversei, que se relacionam com homens, reclamam disso. Os motivos são muitos: “a camisinha não cabe”, “eu broxo de camisinha”, “prefiro sem”, etc. Olha, nada disso é nosso problema, sabe? Mulher tem que ser “mãe” até na hora do sexo? Porque, assim, tem cara que não sabe procurar uma camisinha mais fina sozinho (para algumas pessoas, elas aumentam a sensação de prazer), um psicólogo (certa vez, a mãe de uma amiga, que é sexóloga, disse que grande parte dos problemas de ereção e ejaculação precoce são psicológicos) ou qualquer outra coisa que possa ajudar. Vivemos em uma sociedade falocêntrica que coloca a penetração como a representação máxima do ~fazer sexo~ e com certeza é algo que precisa ser desconstruído. Mas, enquanto isso, não forcem a barra e nem coloquem a saúde de mulheres em risco, caras. Muito menos tentem colocar nelas a culpa dos seus problemas. E gravidez também é um risco de relações sexuais sem preservativo, né? Nem toda mulher pode/quer tomar pílula ou faz uso de algum outro método anticoncepcional.

Clique aqui para acessar o Portal sobre aids, doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais do governo, para saber mais sobre doenças, postos de saúde, distribuição gratuita de medicamentos e preservativos e afins.

Aproveitando a oportunidade, é sempre bom lembrar:

10256229_10152338228647458_5131227173233350276_n

6) SÃO PAI-QUANDO-DÁ 

O texto Pai quando dá (clique aqui para ler) é certeiro. Conheço bem vários deles. O pai-quando-dá aparece em ocasiões especiais, não faz esforços para ajudar na criação dos filhos e tem sempre outras prioridades quando o assunto é dinheiro. E eles não existem apenas em relações com pais separados. Em lares em que os pais e mães estão juntos acontece bastante de a mãe (e/ou, infelizmente, babás e empregadas domésticas) cuidarem, educarem e alimentarem as crianças, enquanto os pais só aparecem para dar bronca ou brincar um pouquinho. Esse tópico casa com o primeiro: cuidar dos filhos também é dividir tarefas. Mulheres não têm a obrigação de abdicarem da própria vida em favor dos filhos, embora isso seja um mito corrente (e que, mais uma vez, mantém o privilégio masculino). Um fator curioso que já observei é que, com a internet e suas facilidades, tem muito pai-quando-dá que acha que basta postar uma foto do filho ou filha e dizer “PAPAI T AMA NHOMM” para que o mundo acredite em sua ótima atuação na vida desta criança (vejo alguns que sequer moram na mesma cidade que os filhos e não fazem esforço algum para visitá-los usando esse artifício). Só que, opa amigão: like no Facebook ou coraçãozinho no Instagram não coloca leite na mamadeira e nem faz criança dormir, ok? Paternidade acontece na prática, não basta falar sobre o filho.

7) ESTUPRAM

Segundo o Dossiê Mulher 2014, divulgado em agosto deste ano, no estado do Rio de Janeiro, 4.872 mulheres foram estupradas em 2013. Isso significa 13 mulheres atacadas por dia, ou uma a cada duas horas. Com base em informações de 2011 do Sistema de Informações de Agravo de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan), pesquisa do IPEA lançada no início deste ano (que causou polêmica por seu resultado – que gerou a campanha “Eu não mereço ser estuprada” – e por errata publicada depois) estima que no mínimo 527 mil pessoas são estupradas por ano no Brasil e que, destes casos, apenas 10% chegam ao conhecimento da polícia. 
Segundo registros do Sinan, 89% das vítimas são do sexo feminino e possuem, em geral, baixa escolaridade. Do total, 70% são crianças e adolescentes. Infelizmente, a ideia geral que se tem é de que um estuprador é aquele cara que sai do mato com um facão, bate na mulher e a obriga a manter relações sexuais com ele. No entanto, isso serve apenas para esconder a realidade: familiares, amigos, vizinhos e outras pessoas próximas oferecem tanto ou mais risco quanto um estranho. E nem sempre a coação envolve força física. Pode envolver chantagem emocional, ameaça, entre outras coisas. Se a pessoa disse não, é estupro. Se a pessoa não tinha condição de dizer não (estava bêbada, dormindo, drogada, é jovem demais e/ou se sentiu intimidada, etc), é estupro. Se ela foi, de alguma forma, forçada, coagida, chantageada, humilhada, ainda que sutilmente, é estupro também.

“O que ainda precisa ser feito? Pensar sobre ajudar vítimas de estupros é uma coisa; pensar sobre acabar com o estupro é outra. E nós precisamos acabar com o estupro. Nós precisamos acabar com o incesto. Nós precisamos acabar com os espancamentos. Nós precisamos dar fim à prostituição e precisamos dar fim à pornografia. Isso significa que nós precisamos nos recusar a aceitar que esses são fenômenos naturais que simplesmente acontecem porque algum cara está tendo um dia ruim”

Trecho do discurso Relembre, resista, não se conforme, de Andrea Dworkin. Clique aqui para ler na íntegra.

8) PRATICAM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA 

“A violência contra as mulheres constitui-se em uma das principais formas de violação dos seus direitos humanos, atingindo-as em seus direitos à vida, à saúde e à integridade física. Homens e mulheres são atingidos pela violência de maneira diferenciada. Enquanto os homens tendem a ser vítimas de uma violência predominantemente praticada no espaço público (minha observação: praticadas por eles mesmos e por instituições compostas e legitimadas por eles), as mulheres sofrem cotidianamente com um fenômeno que se manifesta dentro de seus próprios lares, na grande parte das vezes praticado por seus companheiros e familiares. A violência contra as mulheres em todas as suas formas (doméstica, psicológica, física, moral, patrimonial, sexual, tráfico de mulheres, assédio sexual, etc.) é um fenômeno que atinge mulheres de diferentes classes sociais, origens, idades, regiões, estados civis, escolaridade, raças e até mesmo a orientação sexual” — Leia a cartilha Política Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres na íntegra clicando aqui.

Preciso falar mais?

9) PEDOFILIA E OUTRAS PARAFILIAS

Já li diversas definições para parafilias: perversões, desvios sexuais, preferências anormais, etc. Essa matéria aqui explica um pouco o que são e categoriza algumas. No entanto, esquece de citar coisas importantissímas: são os homens os maiores “portadores” de parafilias, digamos assim. E muitas dessas parafilias envolvem dominação, subjugação, humilhação e tal. Como no caso dos que colocam a pedofilia em prática, dos que exibem suas partes íntimas em público sem o consentimento alheio, se esfregam e/ou se masturbam em cima de mulheres no transporte público e em outros lugares (também sem consentimento). Sem contar os que usam animais ou corpos de pessoas mortas. Ewww. Olha, eu acredito que, no caso dos seres humanos, sexo deve ser praticado com quem tem capacidade de dizer sim. Ou seja, entre pessoas. Vivas. E entre pessoas vivas que possuam idade/maturidade para consentir conscientemente – embora as relações hierárquicas de nossa sociedade torne até mesmo o consentimento de pessoas adultas questionável, caso elas estejam em situação de vulnerabilidade. Vejam bem, até respeito quem curte lamber uns pés, por exemplo, ou se excita vendo balões. Mas usar crianças, animais, pessoas distraídas, desacordadas… Mortas. NÃO! E não entendo como as parafilias, como um todo, são tratadas como situações individuais e não uma questão social que, de alguma forma se relaciona com o modo que a masculinidade é construída — uma construção que de certa forma diz ” é seu direito acessar os corpos que quiser, como quiser”. Esse é um assunto que eu gostaria de outras visões, aliás, pois comecei a pensar sobre não tem muito tempo.

10) COMETEM FEMICÍDIO

“No Brasil, entre 2001 a 2011, estima-se que ocorreram mais de 50 mil feminicídios: ou seja, em média, 5.664 mortes de mulheres por causas violentas a cada ano, 472 a cada mês, 15,52 a cada dia, ou uma morte a cada 1h30. (…) Isto porque além do elevado número de assassinatos por causas violentas – critério adotado no levantamento para indicar o feminicídio – o estudo constatou que o perfil dos óbitos é, em grande parte, compatível com situações relacionadas à violência doméstica e familiar contra a mulher e poderiam ter sido evitadas. Um indicativo nesse sentido é que quase um terço dos óbitos  teve o domicílio como local de ocorrência. (…) “Essa situação é preocupante, uma vez que os feminicídios são eventos completamente evitáveis, que abreviam as vidas de muitas mulheres jovens, causando perdas inestimáveis”, aponta a pesquisa, realizada com base na avaliação e correção de dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde. (…) O feminicídio é definido como crime de homicídio resultante de violência contra a mulher e é caracterizado em quatro circunstâncias: violência doméstica e familiar; violência sexual; mutilação ou desfiguração da vítima; emprego de tortura ou qualquer meio cruel ou degradante” — Leia mais aqui.

Martela, martela, martela o martelão, batendo a mãozinha, na palma da mão

Martela, martela, martela o martelão, batendo a mãozinha, na palma da mão

Bom, tentei ser breve e sucinta (e falhei *risos nervosos*). Com certeza muitas informações poderiam ter sido acrescentadas. Mas espero que este breve apanhado tenha ficado claro. Peguem os seus martelos e entrem no bonde, migas. E continuem acrescentando itens a lista nos comentários! 🙂

Anúncios

168 comentários sobre “DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS

  1. Tu levantaste um bom tópico a ser discutido, mesmo sem perceber (eu acho). Sobre como os manuais de relacionamento (os conselheiros amorosos) encontrados em revistas de público feminino tratam a mulher como o problema, a insuficiência da relação. Ou ainda como se ela fosse a responsável por manter o bom relacionamento, ou consertá-lo.
    Fiquei imaginando a revolução que seria se as revistas de público feminino tivessem falas de empoderamento da mulher (e não essa dita “autonomia” que sempre tem um homem por trás)…

    • Esther, realmente, ótimo ponto. Só nos colocam como “sujeitas”, como “personagem principal” se nossa ação envolver mudar para agradar o outro. Obrigada pelo comentário! 🙂

  2. Poxa! Só o título já é sexista! Beleza que a sociedade é sexista mas é bom mudar isso né? Fazer uma reportagem 10 coisas que mulheres odeiam em homens? Que homens são esses? Que mulheres estas? Esteriótipos escrotos…generalizações, pavor de tudo isso…

      • Olha, se você for muito novinha, não recomendo a leitura não, é meio pesado. O texto é uma crítica da violência dos homens contra as mulheres e ironiza aquelas listas de revista feminina que falam “coisas que homem detesta numa mulher”, etc, sabe? :*

      • “¯\(ツ)/¯ o que posso fazer se os homens fazem essas coisas”

        É esse generalismo que está destruindo o feminismo e o transformando em completa misandria, gerando ainda mais misoginia. Não, nem todo homem é um estuprador em potencial.

      • VELHO, MAS HOMENS FAZEM ESSAS COISAS, VOCÊ QUER QUE FEMINISTAS FAÇAM O QUÊ? MINTAM?

        Já falei mil vezes, não tá escrito que todos os homens estupram, por exemplo, mas GRANDE, ENORME parte dos estupros, abusos sexuais e etc são cometidos por homens. Entendeu?

      • Li todo o texto e com calma. Não tenho medo de ser interpretado de maneira equivocada mas concordo com Zerafinne.
        Senti um cunho sexista em todas as argumentações, apesar de não me sentir enquadrado em nenhum dos itens (e não espero um parabéns por isso :/ ), percebo que os homens ao meu redor (que vão de simples pescadores tradicionais a grandes empresários) não fazem parte desse balaio que foram lançados todos os homens. A frase de efeito é: se homem não presta, mulher não presta…
        O que percebo é que temos diferenças e estas só aumentam a distância do dia em que iremos olhar para o(s) outro(s) sexos com respeito. O difícil é abrir mão de que es coisas sejam do jeito que nós queremos.

        Não questiono as estatísticas de violência contra mulher e me enoja observar o comportamento de certos homens com as mulheres. Mas não quero ter vergonha de ser homem (percebe a sutileza do “não quero ser um homem do jeito que as mulheres querem” ) da mesma forma que acho cruel as mulheres terem de se enquadrar em arquétipos construídos para agradar (competir com outras mulheres) os homens.

        Enfim, as pessoas deveriam ser livres e respeitadas, homens e mulheres. Quando aprendermos a sermos menos egoístas e quisermos moldar os outros (isso é transformação individual) veremos um mundo menos paranoico.

      • Cê achou ~sexista~ mas não questiona as estatísticas? (Muitas, aliás, estão ABAIXO do número estimado real pq ainda existe sim medo de denunciar várias violências. E existem relatos que mesmo em delegacias da mulher, existem mulheres sendo tratadas com negligência, etc). Jura que os homens ao seu redor não fazem parte desse balaio? Me conte mais sobre pedófilos, estupradores e agressores que saem contando pra todo mundo o que fazem……. Acorda pra vida, garoto.

      • Que eterna mania de querer salvar homens. Se dedicassem essa energia do “não vamos generalizar” e usassem para combater o machismo estaríamos em um nível mais avançado. O mundo é sexista gente. A autora em momento algum incentivou o sexismo, só elencou os fatos.

  3. Olha só que interessante as diferenças entre os sexos, porque eu tenho certeza que se um homem esta triste, ou de mau humor, vir uma mulher chamando o cara de coisas bonitas é somente o necessário para melhorar o dia em 100%…mas isso vocês nunca entenderão… são coisas que simplesmente não da pra se por no lugar, as formas de pensar dos dois sexos são totalmente distintos.

    • A gente entende sim. E não gosta. Essa direrença que você fala não está ~entre os sexos~ não, é cultural. E se uma mulher falando coisas bonitas te alegra, é pq ela não é ameaçadora pra você. E provavelmente você não tem que lidar com 928487587 mulheres enchendo o teu saco diariamente. Vc leu o texto, meu filho?

      • Li o texto todo, e olha, ter que lidar com 928487587 mulheres enchendo o teu saco diariamente é tudo o que todo homem pede a papai do céu TODOS os dias…, realmente há mulheres que não entendem nada sobre os homens, mas é compreensível, além das funções neurais, dosagens hormonais serem muito diferentes, fazendo com que pensemos e raciocinemos de forma totalmente diferente, vocês já nasceram sendo mulheres…, nunca vão entender o outro lado…

      • Nossa, quanta besteira. Você não entende mesmo o que é essa “encheção de saco” pra achar que quer isso. E mulheres não oprimem homens, então lógico que a “encheção de saco” delas soa muito menos ameaçadora e até desejável. Aff.

  4. Oi. Antes de tudo, quero dizer que li o texto. Duas vezes. Rsrs. Adorei, concordo com tudo etc. Porém, às vezes acho que o discurso (justo, justíssimo, imprescindível) perde um pouco de força com ideias (ao meu ver, até provas factuais em contrário, equivocadas) como:

    – “são os homens os maiores “portadores” de parafilias”. Isso é estatístico? É real? Ou uma suposição?

    – “Cem entre cem mulheres que já conversei, que se relacionam com homens, reclamam disso” (sobre o uso de preservativo). Esse dado dos 100% também é estatístico? Perdão, mas não faz o menor sentido.

    Sem falar no item 4, que é meio cruel para os homens íntegros que acolhem a causa e buscam entender essa lamentável situação. (mesmo que provavelmente nunca venham a entender)

    De resto, é isso aí mesmo, infelizmente.

    Por favor, sigam na luta. Não passaremos. ; )

    • Cara, isso é um blog não uma tese de mestrado, hehe 🙂
      Sobre as parafilias, sim, é estatístico. Basta pesquisar sobre elas – isoladamente ou conjuntamente – que você verá que as mais “nocivas” (no sentido de envolver falta de consentimento, menor de idade, etc) são “coisas de homem”.

      E o “cem entre cem mulheres” é uma coisinha chamada força de expressão 🙂

      Mas obrigada pelo comentário!

    • Miga, não precisa sentir pena dos homens. Pouco vai fazer diferença pra eles nossa pena ou orgulho. Eles vão continuar suas vidinhas privilegiadas com a gnt sendo “cruel” ou “dando estrelinha”. Agora, as mulheres sim precisam de toda, toda toda, e qualquer palavra que escrache o machismo e empodere. Então vamos fazer isso sem pesar.

  5. O texto realmente volta nossa atenção a coisas que MUITOS homens fazem e são abomináveis. Mas como eu disse MUITOS e não todos. Seu texto jogou todos os homens no mesmo saco. Seria totalmente diferente se fosse “Coisas que mulheres odeiam QUANDO os homens fazem”.
    Eu li o texto inteiro, e achei que a ideia que ele passou foi exatamente a que eu tive quando li o título.
    Achei EXTREMAMENTE sexista este texto. Se fosse “Coisas que odiamos quando os homens fazem” seria uma coisa, mas agora dizer “Homens são pedófilos, estupradores, necrófilos, sexistas, violentos, etc.” é totalmente misândrico. A impressão que me deu foi a de que isso foi um texto de vigança “Ah é? Sofremos com o machismo e somos oprimidas? Então vamos oprimir!” (obviamente sei que um texto deste não terá a mesma carga sobre um homem que um texto machista tem sobre as mulheres em geral, afinal de contas a mulher passa sufoco diariamente por viver numa sociedade machista e patriarcal).

    • Ah, o doce sabor de male tears com boas doses de mansplaining.

      Em nenhum momento é dito que todos os homens são essas coisas todas (#notallmen…….) mas todas essas coisas em sua grande maioria são cometidas por homem. Entendeu? Qualquer coisa relê que você entende.

      “Então vamos oprimir”? Tá l0k0, fi? Mulher tem poder estrutural pra oprimir homem não. Falsa simetria aqui não. Falar a real é oprimir agora?

  6. Oi
    achei seu post sexista, assim como “dez coisas que toda mulher odeia nos homens” poderia ser “dez coisas que homems odeiam nas mulheres” (porque tambem tem mulher que faz tudo isso”) ou tambem “dez cosias que homem odeia no homem” ou “dez coisas que mulher odeia na mulher”, assim como tem mulher vitima de issas accaos erradas, tambem tem vitima homem (INDEPENDETEMENTE DA QUANTIDADE DAS VITIMAS) entao voce condena a accao e o individuo que faz NAO O GENERO, acho que o post deberia se chamar “dez coisas que todo ser humano odeia no ser humano” (uma desculpa por meu portugues)

    • Bom, se você lê o texto, deixo claro que esse apanhado de “dez coisas” são coisas cometidas principalmente por homem. Coisas que precisam de campanhas para serem evitadas, sabe? Coisas que homens cometem contra mulheres por diversos motivos que envolvem uma estrutura de poder (onde o poder é deles) e inferioridade atribuída à elas. Etc. Sexismo é atribuir determinadas caraterísticas e comportamentos, etc aos sexos. Então essa estrutura desigual é sexista. Quando vocês comentam aqui “bla bla achei a lista sexista”, isso é balela. *EU* não estou atribuindo nada aos homens, apenas analisando comportamentos em que eles comprovadamente são a maioria (e você nem precisa pesquisar muito não: conversa com qualquer mulher). E esses comportamentos prejudicam um montão de gente. E bom ponto: tem vítima homem dessas coisas na lista? E quem comete essas coisas contra eles (na maioria dos casos)?

      Tempo na tela!

      12345

      Outros homens.

      • Oi,
        é sexista sim desde o momento que voce acha que este é um problema de Genero e nao de educacao, o homem que faz isso é por falta de educacao e a mulher que faz isso é por falta de educacao tambem, que o homem sem educacao seja mais inclinado (a tendency to) de fazer isso nao tem revelancia neuhma porque repito, o problema é de educacao e NAO DE GENERO, este post nunca vai ter um enfoque FEMINISTA porque voce faz uma separacao dos generos, porque voce acha que como tem muita mais mulher vitima disso o homem vitima deixa de ser relevante, eu como homem odeio quando homem faz isso MAS TAMBEM ODEIO QUANDO MULHER FAZ(nao é problema de genero!!!) , a solucao para o problema é deixar de se vitimizar e de jogar culpas em um genero, tudo é educacao
        Saludos desde mexico

      • Mas daí você tá colocando isso num patamar em que só o homem sem acesso a educação faz esse tipo de coisa. E não é. Tem brancos, negros, ricos, pobres, etc. O recorte social, econômico e etc pode mudar o cenário do acontecimento mas não muda o acontecimento em si. Mas vamos supor que você não esteja falando de educação formal e sim de educação para a humanidade, digamos assim. Aí eu concordo. A falta de empatia gera essas situações também. E o que gera a falta de empatia é a desumanização da mulher, a coisificação da mulher. A hierarquia de gêneros, que coloca o masculino acima do feminino. Como não temos um problema de gênero então? Você tá falando em homens e mulheres fazendo essas coisas, como se homens e mulheres fizessem essas coisas na mesma proporção. E não é assim. Como aconteceu em outro comentário (de outra pessoa), você está fazendo uma falsa simetria. A solução para ASSASSINATO, ESTUPRO, VIOLÊNCIA é PARAR DE SE VITIMIZAR? Então é só eu “parar de me vitimizar” (sem comentários…………) que automaticamente vão parar de me cantar na rua? Puxa vida. Não sabia que era tão simples, obrigada.

        Surpresa!

        Se eu parar de falar do assunto e não me “vitimizar”, continuam me cantando na rua. E agora?

  7. Ta faltando interpretação de texto do povo. Não precisa nem de estatística pra saber que a maioria das parafilias são afeitas aos homens. Basta ver em sites de filmes pornôs as ditas fantasias e pegar as outras estatísticas como casos de estupro e pedofilia. Quem, em 99% dos casos é o agressor?

  8. Lindo texto, claro, tipo beabá, for dummies…
    E mesmo assim pessoal não entende… e mesmo assim você ainda explica nos comentários… quisera eu ter essa paciência…

  9. Impossível não concordar com o excelente texto; você descreve algumas situações que são crime (ex: femicídio), o que é detestado pelas mulheres e também deveria ser por qualquer pessoa.

    Uma sensação me acompanhou na leitura, e aqui faço um desabafo. Muita coisa desses 10 itens eu mesmo sempre cuidei de seguir, seja por intuição ou observação mesmo. Porém, é sempre desconcertante ver homens fazendo muita coisa condenável nesses 10 itens e tendo muito mais sucesso com as mulheres. É um paradoxo no mínimo “incômodo”: a gente é cuidadoso com mil coisas, mas vê as melhores mulheres idolatrando caras cuja escrotice segue muitos desses 10 itens (claro que não falo de crimes).

    Para que as coisas mudem, como mulheres inteligentíssimas gostariam (a que escreveu os 10 itens é um exemplo), ajudaria muito se as mulheres parassem de dar altos ibopes para os piores caras.

    • Olha, não é bem assim não, você está colocando a “solução” (consequentemente a culpa) na mão de mulheres. E não é pq esses caras estão cheios de “ibope” que essas coisas acontecem. E o que é ter “sucesso com as mulheres”? Você quer uma enxurrada de mina no seu pé, de forma desumanizada e descartável? Pq é esse tipo de “sucesso” que vejo esses caras tendo. Você quer sacanear um monte de mulher com falsas expectativas e mentiras? Porque é isso que eu vejo eles fazendo. Talvez você precise começar a olhar mais pras mulheres ao seu redor. Todas, e não apenas as que você idealiza, e daí pode começar a viver algo legal com alguém. Pq do jeito que você fala, parece que você quer um cookie por se achar um cara legal. E a vida não é fácil pra ninguém, meu amigo.

      Mas vamo combinar que se o foco da sua preocupação em um texto que fala de um monte de violência gravíssima ser esse já diz alguma coisa sobre você, não é mesmo?

  10. Não estou apelando, apenas me arrependi de ter vindo aqui e escrito alguma coisa. Se você se recusa a deletar meu comentário, já está desrespeitando o mínimo direito a uma pessoa de mudar de opinião. A partir daí eu não tenho mais nada a dialogar. Fique bem. Fui.

  11. Texto ótimo. Sério.
    Não quero tirar o mérito do texto de forma alguma.
    Mas sabe, sou mulher não monogâmica e me incomodei no item 4. Eu entendo que muitos homens se APROPRIAM do discurso do poliamor ou amor livre para se isentar de responsabilidades.
    Mas é uma apropriação indevida.
    “prega o ~poliamor~ e outras práticas ~livres~ apenas para se isentar de responsabilidades e cuidados com outras pessoas”
    Ficou aí uma impressão péssima do que de fato são os relacionamentos não-monogâmicos.

    Acho que a frase pode ser melhor colocada:
    “se apropriam e distorcem as idéias do ~poliamor~ e outras práticas ~livres~ …”
    ficaria melhor, não?

    beijas pra ti!

    • Obrigada!
      Eu sou bem crítica quanto a relacionamentos nao-monogamicos porque dentro da nossa estrutura patriarcal, os homens continuam sendo beneficiados. Na verdade, eu acho diversos pontos bem problemáticos, principalmente essa isenção emocional que vejo por parte de algumas pessoas. No entanto, a forma que falei no texto foi a partir do ponto de vista desse suposto cara “feministo”, não pretendia falar por todos os praticantes de relacionamentos não-monogâmicos. Me desculpe se te causou essa impressão! Um beijo.

      • Sou crítica ao relacionamento “tradicional” também, que fique claro. Kkkk ó, céus, minha sina é ter um monte de gatos mesmo.

      • hahahaha 🙂
        Vou ser chatonilda e fazer minha propagandinha (cada um com suas militancias ^^).
        O patriarcado vai refletir em absolutamente todos os relacionamentos, de qualquer tipo. Vivemos nele, lutamos contra ele.
        A não monogamia pode até ser benéfica nesse sentido: liberdade e autonomia total dos envolvidos. Se só o homem se beneficia, não é amor livre.
        Não há isenção emocional, a empatia e desprendimento do ego é fator fundamental entre pessoas que queiram iniciar um relacionamento assim (simplesmente não dá certo sem isso). O feministo afim das putaria com discursinho de poliamor só está pensando nele mesmo, já identifiquei vários e dispensei. Atualmente estou muito feliz e com dois amores: um moço e uma moça lindxs!
        É muito difícil se imaginar em um relacionamento em que vc não possui controle nenhum sobre o outro: o outro ser uma pessoa bacana não vem de um contrato prévio estabelecendo uma obrigação, vem de quem ele é e quem quer ser. Pra que querer alguém que SÓ é legal pq é uma condição para estar com vc? Prefiro alguém que é legal pq é legal e ponto. Entende?
        (“legal” aqui exemplificando uma série de características que se deseja em um parceiro).

    • Se a maioria dos homens fazem uma coisa, não significa que as mulheres também não façam em alguma escala. No entanto, já foi preciso até mesmo campanha da ONU pra fazer os caras usarem camisinha. Já no caso de mulher, nunca ouvi sobre nada do tipo. Uma mulher também não vai te obrigar a transar sem camisinha com ela no geral. No entanto, já ouvi relatos de mulheres em que o cara forçou a situação de diversas formas, usando força física ou pressão psicológica.
      Se você disser não pra uma mina, o que pode acontecer?
      Se uma mina diz não pra um cara, o que pode acontecer?
      Já pensou sobre isso?
      No geral, a mina pode te xingar. Fim.
      Já o cara a gente nunca sabe o que pode fazer. Tem muito cara de boa, tem muito cara que xinga, tem muito cara que parte pra violência.

  12. Quando você não explicita, você generaliza. Quando você generaliza, você comete os mesmos erros dos opressores. Troque “homens” por “homens sexistas” no texto e ele fica ainda melhor (tá muito bom, por sinal). O feminismo é uma causa em prol das mulheres e da igualdade de gêneros, mas que só vai dar certo com o apoio de todos os gêneros. Não criem um embate, una.

  13. Bom, de acordo com seu texto, eu certamente não sou homem…. Logo, sou o que?

    Antes de escrever mais, existe a mínimo possibilidade de vc admitir que algum elemento possa ser interpretado diferentemente do seu ponto de vista?

  14. Gente, se você é um homem e esta lendo esse texto e fica indignado com essas atitudes, parabéns, você tem um bom caráter e em geral respeita as mulheres, porém não vamos negar que estas coisas existem, pode não fazer parte do seu meio e isso é um ótimo indicio que não estamos perdidos totalmente, mas venha a ser uma mulher bonita que, bem, passamos por muitas situações complicadas com muitos homens por ai. Ajudem-nos a nos defender, a nos cuidar e sejam aliados nossos pra torcer o nariz quando alguém sai por aí se gabando e tratando mulher como um objeto. Nós agradecemos muito se vocês tomarem essa atitude e nos apoiarem. Nós precisamos de voz, precisamos comunicar do que gostamos ou não, e vocês também podem reclamar das atitudes femininas… mas lembrem-se, nós (mulheres) vivemos muita violência por muitos seculos de dominação, esta na nossa memória como mulher, assim como outras qualidades além do protesto, mas esse é importante. Não se sintam acusados se vocês não têm essas atitudes, mas também não sejam ingênuos em pensar que essas coisas não existem. Aliem-se e juntos podemos mudar essa cultura. Conscientizem-se, respeitem e atuem com o seu sagrado masculino cuidando e defendendo as mulheres, que são mães, irmãs, filhas, avós, etc… Consciência e Mais Amor, Por Favor!!

    • Infelizmente não é preciso nem ser “bonita”, basta ser mulher para sofrer alguma dessas coisas.
      Obrigada pelo seu comentário, juntas somos mais :))))

  15. Bem, li o texto (e os comentários…) e gostei, 90% é mesmo bem básico for dummies (nem por isso menos importante, claro, enquanto continuar acontecendo tem que continuar sendo falado), mas outros trechos não, e me deram o que pensar…
    Concordo com o comentário da Lorena, boa parte do mundo poliamorista (e outras tentativas de desmobilizar a monogamia compulsória) é movido por mulheres, nem tudo é caô pra transar mais e se responsabilizar menos, como o ponto parece dar a entender (sem falar nas dez mil relações que dá pra traçar entre patriarcado, posse, monogamia, cristianismo etc.).
    E o trecho sobre os “feministos”, eu entendo que é um saco querer ganhar uma estrelinha por não ser um escroto, e que pode ser uma consideração só de fachada, que o mundo tá cheio de gente querendo diminuir pautas que não considera suas (esse ponto vale pra muita coisa além do feminismo). Mas claro que nem sempre é, tem gente que se importa de verdade. Sei lá, parece que todo homem que pretende pensar a respeito no fundo é só um babaca querendo se colocar na frente e pagar de gostoso, me deu quase vergonha de ser um homem hetero que gosta de pensar / ler sobre / discutir questões colocadas pelo feminismo.
    E por fim, apareceu de uma forma um tanto atrapalhada nos comentários uma questão que talvez não te interesse pra nada, por dizer respeito ao mundo masculino, mas vou falar assim, pq eu acho fundamental. É esse lance do desejo. O mundo hetero masculino é muito movido pelo desejo das mulheres. (Me lembro de assistir um documentário que me impressionou, era sobre o tráfico, uns meninos de 16 17 anos falando, todos eles concordavam num ponto, como o sucesso com as mulheres era uma dos maiores incentivos e motivações pra entrar na carreira de bandido.) Isso é um motivo importante demais, e pode gerar e já gerou milhões de coisas escrotíssimas, mas pode gerar coisas boas também. Não? O amor é importante, po. Não sei como, até por isso jogo o comentário, mas o que cabe de estratégia política possível no campo do desejo? … enfim, seu texto deu o que pensar, valeu.

    • O que já gerou de bom? (tô perguntando sem ironia, não me vem nada à cabeça)
      E esse desejo que você fala é por poder, não por amor (aliás, o que é amor, para a nossa sociedade?). Até pq que amor é esse que pensa em acumular mulheres e não na felicidade delas ou coisas do tipo?
      E “sucesso” com mulher é só uma forma bonitinha de falar de objetificação e desumanização. Conquista territorial, mais espaço, mais coisas, mais mulher, mais mais mais. O conceito de masculinidade se ancora bastante na conquista e dominação e não no compartilhamento.
      “Boa parte do mundo poliamorista”? Não vejo bem assim não o cenário que eu tenho contato.
      Mas enfim, são muitos assuntos ao mesmo tempo e eu não tenho tempo de me estender agora, haha. Até mais.

      • Então, também sem resposta conclusiva mas tentando pensar junto, e sem querer soar hippie, mas acho que a primeira e principal coisa boa é o amor mesmo. Depois, a tentativa de se tornar interessante/admirável/desejável pra alguém que se deseje, me parece um dos maiores motores pra nos transformar, pra gente tentar se tornar uma pessoa melhor (ou mais interessante/admirável/desejável) segundo os conceitos quaisquer se tenha no contexto – podem ser critérios escrotos (do tipo mais rico, mais poderoso etc.), mas não necessariamente.

        “O que é amor pra nossa sociedade?” hahahaha que pergunta mais infinita, tempo de fato é escasso, acho procrastinação boa vir discutir aqui mas essa deixo pra depois, bjo flw vlw

      • Haha. Eu tinha perguntado sobre “o que é o amor pra sociedade” pra tentar chegar em algum consenso. Pq eu penso sobre como a gente vende uma ideia utópica de união/compartilhamento/etc mas, na prática, comportamentos completamente abusivos e desagradáveis são vistos como amor. E o lance que você falou antes, sobre o “mundo hetero masculino” ser movido pelo “desejo das mulheres” (e, como eu já disse, vejo isso como uma necessidade de acúmulo, e, sendo a mulher coisificada, ela é também acumulada – quanto mais mulher, dinheiro, carro, melhor). Isso também não é amor. Então você me falou de estratégia política no campo do desejo. E eu não sei nem como isso seria. Porque o desejo hoje é tão atrelado à vontade de submeter o outro. E acho que primeiramente é preciso isso. Desconstruir essa necessidade que a gente tem de possuir. E somando a necessidade de possuir a uma hierarquia de gênero, as mulheres são as que acabam sofrendo mais, porque não é um sofrimento apenas emocional, pode envolver violência física, abandono, falta de dinheiro e formação profissional, gravidez indesejada que ocasiona em excesso de responsabilidade somente sobre a figura da mãe ou que ocasiona em um aborto inseguro. Tem a heterossexualidade compulsória que atrela as pessoas a um só caminho e possibilidade, que define um destino e é também bastante violenta. Talvez o amor precise ser reformado, o desejo precise se desatrelar da necessidade de poder, a hierarquia de gêneros precise ser destruída e a heteronormatividade também e daí um dia as relações possam ser realmente diferentes e enfim livres. Mas enfim. Tô só jogando um monte de pensamento solto aqui.

        “I began this letter in desire; I end in anger. I dream that love without tyranny is possible” – http://www.nostatusquo.com/ACLU/dworkin/FirstLoveI.html

  16. Sinceramente, achei o texto ridículo, até o item 4 para relevar, porém, à partir do 5º se tornou um dos piores textos que já tive o desprazer de ler.
    Das duas alternativas uma: Ou a autora é uma desiludida generalizando sobre algo que aconteceu com ela ou ela nunca se quer conheceu um homem de verdade

    • “Sinceramente, eu me identifiquei fortemente com diversos itens do texto, mas ao invés de repensar meus próprios atos, decidi atacar pessoalmente a autora do texto, uma mulher que nunca vi na vida e acho que sei alguma coisa sobre”

      BJS

      P.S: “Homem de verdade” kkkkkkk

      • Neste texto a autora generaliza sobre pequenos atos atacando a todos homens sem sequer conhece-los, lendo este lixo que você escreveu eu consigo ter uma visão mais clara sobre você do que esta visão retorcida e generalizada que você tem sobre o que diz ser “homem”.

      • Queridão, você já comentou aqui ontem, tá vindo de novo tentar me atacar? O texto mexeu com você, hein? Espero que faça alguma reflexão pro bem ao invés de só remoer ódio nesse coração. Pode chorar, que faz bem, mas para de me encher o saco que eu não sou terapeuta.

  17. adorei a ideia do texto. Mas broxei na escolha de palavras do número
    1) não ajudam nas tarefas domésticas.
    ‘ajudam’? porra, ‘ajudam’? eu odeio quando o homem não é tão responsável quanto eu pelas tarefas domésticas. A palavra ‘ajuda’ faz parecer que a responsabilidade é minha, mas como ele é bonzinho, ele ‘ajuda’..
    com medo que fosse nóia minha, dei uma pesquisada, e parece que não sou a única que enxerga isso com essa palavra:
    http://mulher.uol.com.br/comportamento/album/2013/11/19/e-machismo-pensar-que-homem-deve-ajudar-em-casa-veja-teorias-para-esquecer.htm#fotoNav=6
    http://papodehomem.com.br/feminismo/#feminismo14

    • Foi só a primeira coisa que pensei na hora de escrever, mas o texto fala sobre cada um cuidar da sua parte e não do homem simplesmente “ajudar”. No entanto, boa observação, valeu 😉

    • “mas ao invés de repensar meus próprios atos” – Esta ai o generalismo mesmo generalismo ridículo que tira todo o crédito do seu texto, você aplica o que disse a todos homens mesmo sem conhece-lo. É aquele velho pensamento esteriótipo que diz que “só existe um tipo de homem”, o mesmo pensamento que se aplicado as mulheres diz que elas “só devem ficar atrás da pia e se for dirigir, deve ser apenas o fogão”

      “Queridão, você já comentou aqui ontem, tá vindo de novo tentar me atacar? O texto mexeu com você, hein?” – Não me sinto atacando e sim defendendo, já que você atacou todos homens no seu texto. E sim, o texto mexeu comigo, me causou uma grande indignação ver tanta baboseira junta e não me contendo decidi responder.

      “mas para de me encher o saco que eu não sou terapeuta.” – Sim, é claro que você não é terapeuta, alias, te recomendo procurar uma porque todo este ódio que você demostra contra os homens deve ser algo reprimido e que está te fazendo muito mal.

      • Cara, pode tentar me atacar pessoalmente que não vai doer e eu vou continuar escrevendo. Pode espernear o quanto quiser. Não tem generalização nenhuma, os comportamentos apresentados têm homens como maioria, o que posso fazer? Então eu, estatísticas e várias pessoas compartilhando esse texto estamos viajando e você é o sábio iluminado? Eu acho que não, hein. E já expliquei mil vezes mil coisas aqui nos comentários sobre, mas além de possivelmente ter muitas características do texto (por isso está nervosinho), vc é burro e não sabe ler.

  18. Ótimo texto, logicamente li inteiro, o que eu não li foram todos os comentários, mas mesmo assim mando meu pitaco. Li muitos homens putos e sinceramente não entendi o porquê. Nós homens que não nos identificamos com essa lista não temos que nos vangloriar… Esse é o mínimo que se espera de alguém que não seja um psicopata. Frase radical… Nem tanto, no caso de alguns argumentos como os seis últimos, isso é obvio, o sujeito É um psicopata. Porem os cinco primeiros, se são uma constante, também indicam uma total ausência de preocupação com o outro, sentimento de culpa, desconsideração por leis e normas sociais (em especial no que diz respeito ao politicamente, porem não só)alguém reconhece os sintomas? Se alguns de nós já pisamos no tomate e nos comportamos como descrito em alguns dos 5 primeiros itens e mudamos, isso pode significar que éramos babacas ou estávamos nos comportando como tal. Ao longo do tempo mudamos e aprendemos a nos comportar como pessoas. Isso não é mérito nenhum, como eu disse é o mínimo, o problemático é depois da adolescência continuar fazendo essas merdas.

    • Esse argumento do “ah, mas esse cara é um monstro, um psicopata” só serve pra isolar esse tipo de acontecimento como algo não comum e, bem. Não é o que as estatísticas mostram, infelizmente. Se praticamente toda mulher tem uma história pra contar, então o que isso significa? Acho que você deveria conversar mais com as mulheres ao seu redor, porque seu comentário é bem utópico e romantizado, a realidade tá longe disso.

  19. Concordo em gênero, número e grau. E pelos comentários, percebe-se que nós ainda estamos muito, mas muito longe de uma igualdade. Compreendi aos 21 anos que certas coisas deixam de ser questão de opinião. A opinião tem que ser repensada, um MILHÃO de vezes se necessário, quando ela fere os direitos de outrem. Nada aqui foi generalizado. E cada um dos itens citados, fere alguém. Se você é homem, e não se enquadra em nenhum desses perfis: parabéns, continue assim. Crie seus filhos assim, seus netos e bisnetos também. Só que criticar o que foi exposto aqui, é ser condescendente. A hipocrisia nasce quando você não quer a sua filha usando roupa curta, quando quer que ela case virgem, quando quer que ela namore um cara perfeito e que não faça nada de “errado”, mas você mesmo seca e importuna as mulheres na rua, adora pegar mina de shorts na balada, e toma cerveja adoidado e possivelmente até dá um “dois” num baseado. Sou exemplo de filha criada por pais machistas. Luto todos os dias pra me ver livre de todas essas influências. Visto sim a camisa do: MACHISMO NÃO PASSARÁ! E todas as mulheres deveriam vestir também.

  20. Legal o seu texto, bem interessante, algumas coisas eu fiquei com um pé meio atrás mas depois eu voltei a ler de novo pra entender o que você queria passar para o leitor.
    Parabéns.

  21. Ótimo texto, mesmo sendo homem achei sua opinião interessante e já fiz a minha versão:

    Dez coisas que todo homem odeia nas mulheres:

    1- Sempre que saem elas esperam que eles paguem todas as contas mesmo não deixando isto claro.

    2- Se vestem com roupas curtas para ouvir cantadas e fingem não gostar, mas quando o homem vira as costas ficam com um sorriso de orelha a orelha.

    3- São interesseiras, elas enxergam o homem pelas suas posses e não pelo que ele é.

    4- Mesmo em relacionamentos estáveis elas tentam chantagear o parceiro com sexo.

    5- Mulheres só são contra estrupo quando o homem não for um gato.

    6- Mulheres sentem atração por homens comprometidos.

    7- Mulheres acreditam que os homens devem fazer por merecê-las, porém não se esforçam para provar que elas os merecem.

    8- Mulheres adoram ter um caso com homens que só procuram sexo sabendo disto, porém, depois elas ficam se lamentando porque o cara queria apenas sexo.

    9- Mulheres usam mestraço e TPM como desculpa para tudo!

    10- Mulheres exigem direitos iguais, porém, quando algum destes direitos não as convém elas se portam como “sexo frágil”.

    Acho que quem gostou do texto testo do blog ou até mesmo quem não gostou deve ter sentido a mesma sensação de “nojo” ao ler este meu comentário, que eu tive ao ler o texto acima.

    • Uau, você deve tá se achando bem espertão agora, né?
      Mas que tal pesquisar fontes e dados, você consegue? Um monte de achismo qualquer um faz. As listas de sempre são assim.
      E essas foram as coisas mais “graves” que você conseguiu pensar? Elas colocam a vida e integridade de um homem em risco? Não colocam. (e elas são reais? porque só vejo um monte de viagem delirante da sua cabeça)

      Ou seja.

      Só reafirmou o meu ponto.

      Burro.

      (E pelo visto comentou sem ler, porque eu falo bem no inicío do texto como conta de restaurante não é um problema sério como os que eu vou apresentar no texto. Hahahah vocês são trouxas demais)

      • Fontes de dados ? Para que preciso de fonte de dados sendo que você mesma não respeita os números. Seu texto é direcionado a todos os homens, como se todos cometessem todos os atos que você diz nele. Mas agora, pergunto a você:

        Quantos homens estrupam ?
        Quantos homens comentem femicídio ?
        Quantos homens cometem “pedofilia e outras parafilias” ?
        Quantos homens recusam o uso de preservativo ?

        E isto se aplica as suas “DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS”, em muitos dos seus tópicos, você trata como geral o comportamento de menos de 1% dos homens.

        Agora ao contrário de você que me chamou de burro, eu reconheço a sua inteligencia, você relatou 10 problemas presentes na nossa sociedade, que precisam de soluções, que precisam ser mais expostos, que precisam ser resolvidos com urgência e que em sua grande maioria são cometidos por HOMENS.

        Eu iria apoiar completamente o seu texto se o titulo fosse “DEZ COMPORTAMENTOS PRESENTES DENTRE OS HOMENS QUE PRECISAM DE SOLUÇÃO”.

        Porém invés de apoiar eu condeno, porque você diz “DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS” sendo que você não é toda mulher para saber se todas odeiam isto e você também não conhece todos os homens para generalizar de tal modo.

      • Vocês só sabem chorar o “NOT ALL MEEEEEEEEEEEEEEN”, mas se preocupar com os fatos que eu apresento no texto que é bom, nada, né?
        Cara, todas essas coisas, se já não tem no texto, tem um Google inteiro para você desbravar e pesquisar. Ipea tem varios dados sobre estupro no Brasil, o lance do preservativo tem um monte de dado também e já rolou até campanha da ONU tendo que incentivar homem a usar preservativo, entre outras coisas, sobre as parafilias, pesquise sobre elas isoladamente e conjuntamente, vai ser bem interessante e nojento, aí depois disso tudo a gente conversa (não).

        Sobre o título é meio que uma ironia com listas do tipo, mas pode deixar que na próxima eu coloco “DEZ COISAS QUE UMA PARCELA ENORME MUITO GRANDE DE HOMENS FAZ MENOS OS MUITO FOFOS PRINCÍPES ENCANTADOS UNICÓRNIOS ESPECIAIS QUE FIZERAM O FAVOR DE NUNCA TER ESTUPRADO UMA MULHER NA VIDA OU E POR ISSO MERECEM UMA ESTRELINHA DOURADA” ok? HEHEHEHEH 🙂

      • Só por este seu ultimo comentário acho melhor terminar o dialogo. Quando escrevi o primeiro comentário apenas achei que você era alguém expondo problemas com uma visão critica sobre eles.

        Sua visão de realidade é totalmente distorcida, todos problemas que você relata existem, mas não da maneira que você diz.

        Você trata deles de uma maneira extremamente esquizofrênica, não aceita opiniões de terceiro e ainda ataca diretamente todos aqueles que comentam com uma opinião diferente da sua.

        Repito mais uma vez, você é inteligente, porém na minha opinião pessoal o que falta para você é aceitar opinião dos outros ou pelo menos discutir de maneira racional, invés de se portar igual uma criança birrenta quando alguém diz algo que você não concorda.

      • Vamos nos atentar para o que é importante para o Marcio Soares da Costa: ter que pagar uma conta sozinho pq ele não sabe conversar com a mulher dele e negociar a forma de dividir despesas é muito mais importante do que estupro, feminicídio, assédio sexual, pedofilia e as várias violências q homens cometem contra mulheres e crianças. Realmente, o moço merece o Troféu Bebê Chorão junto com a medalha “Mamãe, cadê meu Toddy?”! Parabéns, campeão!

      • Cintya, o que eu escrevi foi só para mostrar como eu acho a visão da autora do texto distorcida. Aquilo, podemos dizer que foi uma “sátira”, algo que eu acho ridiculo generalizar para todas mulheres, assim como o texto dela generalizou para todos homens.

      • “sendo que você não é toda mulher para saber se todas odeiam isto”. Sim, pq é claro que tem mulher q curte um estupro, uma porradas até a morte. Claro q tem mulher q curte fazer jornada dupla ou tripla de trabalho, sustentando um homem folgado dentro de casa q não consegue lavar nem o próprio prato. Claro q tem criança q curte um sexo com adulto, não é, Márcio??!! (Não responda. Caso vc não tenha percebido, a mensagem contém ironia!!!)

      • A diferença entre homens q concordam com o texto e os que se sentem ofendidos com ele é bem clara: uns reconhecem q existe macho mto escroto por aí, enqto n’outros, a carapuça serviu direitinho, daí vem o choro, q, como todas sabem, é livre!

      • Cintya, não sei se você leu todos os comentários para falar o que esta falando, mas eu disse diversas vezes. . .o problema é o GENERALISMO, o problema é dizer que todos homens são assim. E eu nunca disse que criança gosta de sexo com adulto, quero ver onde você leu isto.

        A minha revolta é apenas com o GENERALISMO, tudo que o que foi dito existe, mas ela diz como se a grande maioria dos homens, se não todos praticam estes atos.

      • Um número altíssimo pratica, e agora?
        TODA mulher que eu conheço já foi cantada.
        Conheço muitas que: apanharam, foram estupradas, tiveram a autoestima destroçada e não puderam correr atrás dos sonhos pq um monte de coisa não é considerada “coisa de mulher” (vários esportes, várias profissões, etc), um monte de mulher que escreve, desenha e etc sofre perseguição na internet, aliás, qualquer mulher que se sobressaia minimamente na internet recebe ameaças (um reflexo da vida real), a vida real não é segura e é preciso leis o tempo inteiro pra “proteger” as mulheres dos homens, a própria sociedade os trata como animais incontroláveis mandando termos cuidado com estupradores, mandando a gente nao provocar homens, criando vagao especial pra gente no metro (aff) pra gente nao ser abusada por homens. Entao, quer dizer, existe sim um problema social muito grande, enorme, sistemico, e vc nao quer enxergar. E está demonstrando estar pouco se lixando pras experiências ruins que as mulheres passam ao dizer que as coisas não são assim.

        E você chega aqui com aquela lista de bosta, mil adjetivações e zero argumentos embasados e quer ser recebido com flores e tapete vermelho?

        Me desculpe, mas não.

  22. Marcio, enqto vc se revolta com o GENERALISMO, a gente se revolta com os 500 mil ESTUPROS q ocorrem por ano no Brasil, com as milhares de MULHERES MORTAS por maridos e companheiros, com as mais diversas injustiças e violências às quais somos submetidas desde que nascemos… Na boa, pega tua revolta e enfia no c*, q é onde melhor cabe.

  23. Pelo Amor de DEEEEUUUS!!! Nunca vi tanta choradeira de macho num só lugar!!! Que merda é essa? É fato que a maioria dos homens não presta? Sim! e desde que o mundo é mundo! É fato que a maioria das parafilias são cometidas por homens? Sim! De novo, desde que o mundo é mundo! Outra coisa, quanto a estupro, somente um homem pode cometê-lo! Entenderam? SOMENTE UM HOMEM!!! quanto ao cara que reclamou do fato de mulheres que dão bola pra cafajestes, e daí? Elas terão a sua paga! Procure uma mulher que preste meu amigo! Pare de choradeira! Eu mesmo fui jogado fora e desprezado diversas e diversas vezes! Morri por causa disso? NÃO! Pelo contrário, continuei lutando, sendo educado e gentil, respeitando todos os limites das mulheres e não me arrependo nem um pouco disso, pelo contrário, pq finalmente encontrei uma garota que viu os meu valores!! Ao mesmo tempo em que via a ruína daquelas que não tiveram sequer a mínima idéia de darem respeito a si próprias ao darem bola pra cafajestes. Sinceramente, acho que isso é falta do que fazer! Vão ajudar a mãe de vocês e lavem pelo menos o copo da merenda da tarde!

    P.S. Certa vez um amigo me disse em um momento de crise que eu passava porque uma garota, assim como várias outras, me dispensou por nada: “Rafa, um tesouro é fácil de se encontrar? Eu: não… Ele: Exatamente meu amigo, continue procurando e lutando sem medir esforços, porque quem acha uma esposa, acha um tesouro!”

  24. Discordo do texto.
    Imensamente feminista, com objetivo apenas de criticar os homens e defender as mulheres dos homens que praticam as ” 10 barbaridades” que todas as mulheres odeiam, generalizando. Como se todos fizessem as 10 coisas citadas.
    Claro que serviu pra grande maioria mas não pra todos!
    Mas, em parte, concordo com a visão de que grande parte dos homens também é machista e prefere apenas enxergar defeitos em vcs e opiniar sobre atitudes. Mas sem generalizar ficar legal!

  25. Gente como choram, como choram. Otimo texto. Admiro a paciencia de responder todo esse chorume. Sera que essa machaiada ai lava pelo menos as cuecas antes de vir se reinvidicar exceçao nas internetis? Apenas entendam: nao interessa “se nem todo homem faz”. Essa informaçao e irrelevante para a discussao.

  26. Li, gostei, li os comentários e daí lembrei de minha irmã mais nova, que às vezes se perde e exagera na atitude defendendo suas ideias… acho que vc deveria excluir o comentário daquele moço que pediu. Afinal, ele pediu com todas as letras, várias vezes. Veja bem, seu texto é ótimo, e não apenas por elencar aquelas situações mas ainda por abrir discussão saudável sobre o tema, em vários pontos de vista – o que ajuda quem lê a se familiarizar com os diversos tipos de pensamentos que envolvem a questão. Mas eu aqui fiquei pensando: se a coisa não tem a intenção de ser de qualquer forma agressiva; se o propósito é questionar, escancarar, possibilitar a discussão… a mim soou contraditório vc manter os comentários de alguém em função de comprovar uma tese sua, se essa pessoa não se sente mais confortável com o que postou ou se sentiu incompreendida. Manter os comentários daquele moço é agredi-lo, não é? Ficou parecendo birra sua, só para provar seu ponto. Sugiro que exclua o comentário dele e, em seguida, poste um comentário seu sobre o assunto citando o ponto de vista que ele trouxe à baila e o seu próprio, para não perder o mote daquela discussão e abrir caminho para outras opiniões a respeito.

  27. Gostei muito do texto, mas confesso que causa um mal estar, até um asco de ser homem. Por outro lado, se eu entendi direito, você não coloca o homem (proporcionalmente) como maior portador de parafílias pelo simples fato de ser homem, mas pelo fato de ser o gênero opressor, me corrija se estiver errado. Abraços 🙂

    • Não encaixei homens em nada aqui pelo simples fato de serem homens, não foi “implicância” mas sim base em dados. No caso da parafilia especificamente, se você for pesquisar casos de pedofilia, casos de rapazes que exibem as p1RoKaS sem as moças requisitarem, casos de homis que se esfregam por aí em mulheres dentro do ônibus sem elas consentirem, etcetcetc, verá que homens são a maioria. E veja bem, eu sou bem flexível, não tenho nada exatamente contra quem curte lamber um pé (se consensual), ou outras coisas mais inofensivas (embora eu ache que até pé homens consigam idealizar, nossa)…Mas os casos que afetam negativamente a vida de mulheres (e crianças) são totalmente condenáveis sim.

      Abçs 🙂

  28. Pois eh, sou homem, nao sou nem machista nem feminista. Fico com meu filho segundas quartas e sextas, durmo c ele.. Faco tudo que ele precisa, enfim. Acho textos como esse uteis a seu fim que e incitar a posicao radical, ok, concordo que algo acima dos 90% dos homens se enquadre em um ou outro desenho q foi feito aqui. Mas o texto simpesmente joga todos os homens num mesmo saco. Se nunca conheceram um homem legal, que nunca estupraria, que nao come mulher bebada, que gosta de conhecer mulheres e conversar e sair mesmo sem a intencao de come-las, que abomina a pedofilia, e assume sua paternidade, desculpe, mas sua luta acaba se tornando o velho “oprimido se tornando opressor” tentem mudar o escopo, a forma de abordar e afirmar a questao. Porque a mudanca real nao vai ser do machismo pro feminismo, e sim acabar com essa visao sectarista. Desculpem se deixei escapar alguma raiva mas o objetivo desse post foi amor. Saudacoes.

  29. Vim tarde pra comentar esse post, eu sei. Mas vamos lá.
    Adorei o texto. Sem “mas”. Concordo integralmente. E sim, aquele cara que vc nem imagina pode ter estuprado uma garota ontem. É, aquele, da igreja, que parece o máximo da bondade. É foda.
    Mas meu comentário principal é sobre o Marcio Soares da Costa. Eu APOSTO que ele veio procurar dicas pra pega mulher. HA HA HA HAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  30. Adorei o texto. Essa é a realidade em que vivemos. Meninas eu sei que é uma realidade difícil de admitir mas TODO HOMEM É MACHISTA! E esse texto não conta nenhuma mentira ou exagero!

  31. Oi, gostei da sátira.
    (Parabéns por ter paciencia em responder esses machos otários que vem com iuzomismo aqui. Mas não se sinta obrigada,oprimido nao deve explicaçao pra opressor. Minha experiencia é que homens nao querem aprender nada,se quisessem usariam o Google,a intençao dessas perguntas deles é apenas tentar impor opinioes absurdas.)
    Agora o motivo do meu comentário: Sobre parafilias,eu nunca vi em qualquer lugar isso ser encarado dessa maneira e me parece incoerente uma “doença” atingir apenas uma parcela/um genero,é cmo se fosse uma doença ligada ao XY e não seria por aí. A explicação que eu conhecia até hoje pra casos como a pedofilia é que a grande maioria dos homens que abusam de crianças não possuem a parafilia pedofilia,são apenas homens normais(sim,nao sao doentes nem monstros,sao os cidadaos de bem e pais de familia de quem ninguem suspeita) que,socializados como homens misóginos veem naquela criança uma chance de abuso sexual sem punição,por isso é muito comum também que os homens abusem de mulheres com problemas mentais em instituiçoes ou moradoras de rua, o mesmo vale para cadaveres e animais. Isso explica que homens não tem mais parafilias,mas a socializaçao de macho faz com que estejam sempre procurando e enxergando em qualquer mulher um buraco onde ele tem a chance de enfiar o pinto nojento dele.

    • Oi, Mari! Eu respondo mais pelas outras pessoas que vão ler mesmo! Se fosse só pelos caras em questão eu nem perdia meu tempo kkkk
      O “bom” é que muitos acabam provando o meu ponto, servem de exemplo (infelizmente)

      Sobre a questão da parafilia. Sim, concordo muito com você! Vejo certas coisas mais como uma espécie de “doença social” que vem da socialização do que um mal incontrolável que surge do além no interior da pessoa, como muitos acreditam. Muitos “montros” são, como você mesma disse, pessoas “normais”. Tanto que muitas vítimas de abuso, estupro e etc foram colocadas nessas situações por pais, familiares, amigos, enfim, homens próximos 😦

      Um beijo.

  32. Recebi esse maravilhoso texto hoje no facebook uma pena ter chegado tarde..
    Sou homem, casado, pai de 2 filhas lindas e vou dizer…. Não sei o que é mais preocupante: A situação que as mulheres tem que passar ou a quantidade de nós que estão mais preocupados em falar que não se encaixam no perfil ao invéz de enxergar o problema….
    Rapazes… se vocês não se encaixam no perfil esses problemas não são sobre vocês. Não precisam falar que nem todo mundo é assim pois elas sabem que nem todo mundo é assim… O que elas reclamam são dos que fazem. Agora por favor prestem atenção no texto e em quantos textos iguais a esses existem por aí…. É sempre reclamação da mesma coisa o tempo todo.
    Basta lembrar que se alguém não gosta de algo é falta de educação fazer isso com a pessoa… Independente do sexo sim mas nós temos um lado mais preocupante que o outro… Se o amor ao próximo não te importa então pelo menos pense em criar um Brasil melhor para suas filhas pois quando vocês crescerem e casarem irão ver elas passarem por absurdos que pelo visto só se enxerga quando se é vítima ou se é pai…

  33. Parabéns pelo texto. Uma coisa que me deixa muito incomodado é descaso com o qual esses tópicos são tratados, como o item 2, toda vez que minha namorada vem para minha casa sozinha ela chega aborrecida, sempre pelo mesmo motivo, esse assedio na rua. Sempre vejo caras falando que gostam de ser “elogiados” na rua, então então não enxergam problema em fazer o mesmo, mas o que não percebem é que nós temos muito menos a temer do vocês. Falei especificamente de um tópico, mas todos não são tratados com a atenção que deveriam.

    • Pois é! 😦 Mas espero que aos poucos, a sociedade como um todo perceba a seriedade disso tudo e não trate as mulheres com descaso ou ache que as situações ruins vividas por nós são “pouca coisa”.

  34. Ao invés de questionar qualquer coisa, pois eu estou em um espaço que não me pertence, eu vou perguntar:
    Como seria o ideal de um homem que defende e aplaude as lutas feministas, é pró-feminismo, é pró-transfeminismo, auxiliar no movimento? Só assistir, só observar as mulheres se organizando? Auxiliar a luta desconstruindo o machismo em espaços masculinos? Essa questão que nunca ficou clara pra mim. Tenho diversas pessoas próximas feministas, mas essa resposta nunca me foi dada. O que eu vejo de alguns homens é que eles se sentem “perdidos” com o que fazer perante o feminismo…

  35. Se me permite fazer um erro n-4 da lista. Não posso deixar passar batido.
    Só o conceito de “ajudar” em casa já é machista. Como se a tarefa fosse obrigação da mulher e o homem pode no máximo ajudar. O ideal seria tratar esse assunto como “dividir” a tarefa domestica, pois assim mostra que é uma obrigação dos dois. O machismo é tão intrínseco que está escondido nas menores sutilezas. Parabéns pelo texto.

    • Sim, já me chamaram atenção para esta escolha de palavra e, realmente, por mais que meu intuito fosse falar sobre divisão de tarefas, a palavra “ajudar” deu essa conotação. Obrigada!

  36. Está aqui um texto muito bem feito e bem pautado, que todo homem cis deveria ler. No entanto acho que a questão da pedofilia, sendo uma sexualidade, deveria ter sido explorada em outro momento, com mais argumentos e teorias para discussão. Realmente a prática desse relacionamento é abominável, mas cabe discutir isso sob um olhar unilateral e específico pois podemos estar criando uma espécie de dedução.

  37. Nao sou de comentar mto em blogs…
    porem gostaria de alertar a moça que escreveu o texto que a chamada (nome do texto) esta de maneira equivocada…
    Quando entrei esperava encontrar dicas para nao fazer coisas que irritam a maioria das mulheres e talvez se encaixasse no perfil da minha bamorada algumas coisas…
    Porem quando eu entro aki e começo a ler o texto percebo que se trata de algo mto mais serio…
    Entao nao gostei pq pareceu uma coisa na chamada e outra nos textos (estrategia usada em jornalismo sensacionalista)
    Talvez mtos tenham vindo assim tbem ateh aqui
    Soh uma opiniao

  38. Parabéns pelo texto, pelo sucesso e pelas respostas ótimas nos comentários… para complementar, já que pra homem, a voz de um homem é o voz de deus…

    “Nos dias de hoje, uma pessoa com pênis teria que ser realmente ignorante para não perceber toda a conduta de comprovação da masculinidade que tem sido criticada como perigosa ao bem-estar (do próprio indivíduo e de outros). Por mais que essas pessoas aceitem as crescentes críticas à masculinidade padrão problemática, elas sensatamente devem estar se perguntando quais condutas de autenticação da masculinidade estão isentas disso: quais são os jeitos de ‘agir como um homem’ que definitivamente os livre de ser confundidos com ’homens se comportando mal’? Ou, colocar mais pessoalmente: o que exatamente, nos dias de hoje, alguém faria para viver uma identidade ‘generificada’ (gendered) masculina positiva que se sente – e é – digna de respeito ( por si mesmo e por outros)?”

    https://viadamus.wordpress.com/2014/06/21/por-que-falar-sobre-masculinidade-saudavel-e-como-falar-sobre-cancer-saudavel/

  39. Outra coisa que irrita bastante é a forma como o orgulho masculino guiam as ações dos homens. Se dizem os “racionais”, mas agem, muitas vezes, como um menino mimado cujas vontades não foram satisfeitas ou baseado no orgulho macho ferido.

    • Sim, a socialização masculina os ensina que eles são o centro do mundo e quando a realidade mostra que não é bem assim e as outras pessoas tem vontades e necessidades próprias, eles ficam inconsoláveis. Tanto que muito homem lida com a frustração usando excesso de violência.

      • nem todos são assim, alguns homens não ligam pra isso de “orgulho macho”, eu mesmo acho idiotice, o orgulho cega, torna-lhe fraco e incapaz de ver um sorriso em outra face que não a sua. é previsível que não vá acreditar no que estou dizendo, já que deixou claro no texto acima que há “homens” (se é que pode-se chamar assim) que se infiltram nesses meios e se fazem de bonzinhos.

  40. O titulo do texto não deveria ser, DEZ COISAS QUE TODA MULHER ODEIA NOS HOMENS, por que a casos ai de matar mulheres, ninguém gosta disso nem homem, vc não leva em conta os familiares dessas mulheres os pais, irmãos , filhos, esses homens com certeza sofreram muito com a morte delas, colocou como se fosse feito por todos os homens, minha mãe é a pessoa que mais amo nesse mundo se ela morre vou sofre muito sei disso.

    • Oi, Wilton! Claro que muita gente sofre quando perde uma pessoa querida, mãe, tia, amiga. Porém, como você pode ler no texto e comentários aqui, o foco é mostrar que muitos crimes contra mulheres são cometidos por homens. E são cometidos baseados numa crença de que mulher é inferior, numa crença de que mulher é uma subcategoria. Tipo homens que assassinam mulheres que não querem nada com eles, pq acham que elas são propriedade deles (já o contrário não acontece tanto). Ou homens que assediam mulheres nas ruas, pq acha q mulher andando sozinha é propriedade pública. Ou homens que estupram mulheres pq acha q o corpo delas está a serviço deles. O que temos que fazer é tentar mudar essa cultura, para que a vida das mulheres deixe de ser tão dolorida e sobrecarregada.
      Que bom que você valoriza e ama sua mãe! 🙂

  41. Sempre amo seus textos e esse é mais um na lista dos favoritos. Só queria fazer um comentário sobre o tópico de tarefas domésticas que se não me engano diz “não AJUDAM nas tarefas domésticas”. Quando vc adentra o tópico, explicita q o devido por eles não é uma mera ajuda ocasional e sim uma divisão justa. Daí acho q seria interessante explicitar essa ideia no título do tópico. Algo como “não participam das tarefas domésticas”, sei lá. Só pq a palavra ajuda deixa implícita a ideia de que as tarefas domésticas são nossas para, no mínimo, coordenar. No mais, só amores! You go, girl! ❤

    • Sim, tinham me chamado atenção pra isso antes. Embora eu quisesse dizer justamente isso, de divisão justa de tarefas, o “ajudar” pegou mal mesmo, né? Visto que isso foi bem comentado… Muito obrigada e até mais! ❤

  42. Pingback: DEZ COISAS QUE HOMENS FAZEM ERRADO DURANTE O SEXO |

  43. Sobre a parte de pedofilia e parafilias: não é exclusivo de homens. Quando eu era criança, fui abusado sexualmente por uma mulher e ela tinha umas taras muito escrotas. Eu cresci sentindo nojo de tudo relacionado a sexo e imaginava que todas as pessoas, para se realizar sexualmente, precisavam desse tipo de “estímulo”. Tinha muita vergonha de conversar sobre isso com qualquer pessoa e meu relacionamento com meus pais foi extremamente prejudicado, pois eu sentia medo e nojo de todo e qualquer adulto. Felizmente, depois de adulto, encontrei uma moça que me ajudou muito, hoje estamos namorando faz alguns anos e aos poucos vou superando meus traumas de infância. Não estou dizendo que não existe homem nojento, mas sim, existem mulheres que são monstros. Digo isso porque participei de um grupo de apoio anônimo para pessoas que sofreram abusos e não são poucos os casos de pessoas abusadas por mulheres. Enfim, só minha opinião baseada na experiência (ruim) que eu tive.

    • Não é exclusivo mesmo! No entanto, estatisticamente, homens são a grande maioria em crimes contra crianças & adolescentes (de ambos os sexos, mas as meninas ainda são as maiores vítimas), mulheres e outros homens também. Por isso o foco neles, porque é quase o modus operandi da masculinidade praticar violência contra quem se considera “inferior” ou mais vulnerável… Mas já ouvi alguns relatos como o seu também e, de verdade, eu sinto muito, mesmo. Cada caso, individualmente, é muito triste, independente das estatísticas dominantes. Fico feliz por você estar, aos poucos superando, sei que as marcas ficam, as lembranças ruins e só posso te desejar uma vida feliz, apesar do acontecido. =*

  44. Hey, passei aqui achando que ia achar listas de coisas que fazemos que não agradam, e acabei me deparando com um texto altamente construtivo kkk (sério, sem ironia >< )

    Eu, como homem, falho diversas vezes nessa coisa de machismo. Mas isso não quer dizer que eu não tente melhorar sabe? Sempre que tenho tempo busco sobre feminismo (no começo era ódio ao termo "feminazi", que passou a ser compreensão, daí a ignorância foi sumindo e hoje em dia sempre que posso converso sobre o assunto pra me instruir cada vez mais). O que quero dizer com tudo isso, é que existem alguns homens que se envergonham de falhar, e buscam melhorar. Mulheres DEVEM SIM lutar pela igualdade, mas excluir (muitas fazem isso) os poucos homens que as apoiam pode não ser sábio, visto que (isso eu afirmo ser um defeito que 99% de nós deve ter) "homens só ouvem outros homens".
    Compreende? eu gostaria de ouvir mais "não cara, Cê ta fazendo errado, é assim…" , do que " sai daqui cara, Feminismo é um movimento de mulher pra mulher e vc n vai ajudar em nada".

    • Mas mulheres não excluem homens, homens que excluem e expulsam mulheres de diversos espaços do mundo em geral, o que faz com que elas precisem se articular em nichos próprios. Você já tem passe livre no resto do mundo inteiro, pra quê precisa tanto estar no pequeno local reservado às mulheres, sabe? 🙂 E existem livros, internet, bom senso… Você não precisa de mulheres te educando o tempo inteiro. Certos caras são machistas por realmente considerarem a mulher inferior e por conseguirem privilégios a partir do machismo (tipo mulher arrumando as coisas dele, mãe levando comida na boca, etc) e não necessariamente porque eles não sabem que são machistas…. 🙂
      No mais, valeu!

  45. Texto muito bem escrito e bastante informativo. Eu gostaria que mais pessoas tivessem acesso (e se dispusessem a se adentrarem nesse mundo.
    Enfim, keep on the good work

  46. Gostei bastante do texto, mas apenas uma coisa me deu tique nervoso:
    Homem quando faz tarefas domésticas não eh ajuda!!! A casa eh dele tb, então se chama obrigação!!
    Por favor, parem de chamar de ajuda!!!
    A obrigação não eh das mulheres e eles apenas “contribuem”, ainda mais como vc disse com nossas jornadas duplas e triplas de trabalho!!
    Vamos quebrar esse paradigma tb!!
    Só chamamos de ajuda quando não eh nosso!!
    Adoro o blog!! 👏👏👏
    Grande beijo! 😘

    • Sim, chamaram atenção pra esse termo antes aqui nos comentários… Foi uma má escolha de palavra, realmente 😦 O que eu queria dizer era isso mesmo, que eles também precisam arrumar a casa, lavar a louça, cuidar de filhos e etc…. Obrigada! Beijos!

  47. Sua análise sobre a construção social é certeira. Durkheim fala sobre o ser social e como seus paradigmas e, como vc chamou nos comentários, modus operandi rss, são passados pela sociedade ao indivíduo. Outros autores posteriores falam sobre a subjetividade independente de tal sociedad mas enfim, por nascer homem tive a oportunidade de acompanhar de dentro essa construção. Tive pais q me faziam pensar mais q seguir e dei sorte por isso. Frequentei diversos grupos sociais diferentes e aprendi com cada um mas raramente me senti bem entre os homens em geral. Competição o tempo todo, julgamento,bullying constante q lapidava os meninos pra terem os gostos e vontades q são respeitados… etc. Diversas conversas comuns entre adulto e criança por exemplo reafirmavam essa diferença menino-menina e concorriam pra construção desse ser primata q vc define em seu texto. N quero pagar de feminista ou o diferente mas é q acho q a essência de todo esse problema,como vc bem disse, de ordem social, está no modo como é visto o sexo e os perfis masculinos a serem seguidos. Além de alguns tabus ou preconceitos q viraram cultura na forma de piada mal intencionada.
    E uma coisa q tem me preocupado hj em dia é a transferência de responsabilidade dos pais para a escola/Estado e a escola por sua vez n tem autonomia pra uma série de coisas em relação às crianças(n q eu discorde, evita muitos abusos de autoridade etc..) e a criança acaba ficando sem muita referência de valores a serem seguidos. Acaba por engolir os paradigmas das mídias(seja tv ou internet) e usar os amiguinhos como base de escolha de certo e errado. Quando n engolem paradigmas religiosos infundados antes mesmo de poderem entender o q representa a religiosidade na vida de algm e na sociedade.
    por fim, ótimo texto e adorei a tática dos links pra enxugar conteúdo sem deixar de abordar os pormenores. Parabéns.
    Ah, concordo com a galera sobre o título e o q ele nos faz esperar rsss mas ainda bem q esbarrei com esse texto

    • Pois é, a gente vive em uma sociedade que estimula o tempo inteiro a hierarquia sexual, que cria o homem pra uma coisa e mulher pra outra, que reforça diferenças, essencializa papeis, naturaliza violências, que celebra rituais de “macheza” e de “feminilidade”… E tudo isso é muito complicado porque, como você disse, as pessoas vão crescendo sem muita referência e simplesmente absorvendo esses papeis de tal modo que, mesmo quando a “consciência vem”, digamos assim, fica difícil se livrar do que tá internalizado… Essa transferência de responsabilidade é uma falsa segurança que as pessoas criam, como se instituições previamente legitimadas pela sociedade fossem ser as melhores formas de educar as pessoas, né? Mas a questão é o que está por trás dessas instituiçÕes, o que querem, o que defendem, de onde surgiram… É uma rede bem amarrada que mantém o status quo, realmente, você me fez pensar agora… Em indivíduos sendo criados para cumprir papeis predeterminados e inseridos nesse sistema de absorção de valores que reprogramam esses indivíduos o tempo inteiro para o que eles foram designados – e, assim, o sistema seja mantido. Aff. É foda. Obrigada pelo comentário!

  48. Gostei do texto apresenta uma realidade a que não estou esposta da mesma maneira.
    Não sei se o meu comentário vai ser muito vai ser influnte porque vem de outro continente e de outra comunidade que não é nem 1/3 da comunidade Brasileira.
    Na terra onde eu vivo estes casos de violência são completamente puníveis em tribunal. Mas como não podia deixar de ser qualquer ato de violência a alguém deve ser completamente punível.
    Mesmo com este sistema há sempre casos mas em menor percentagem porque desde que nasci só ouvi falar de dois casos assustadores, mas não podemos ser uma cidade que foge à regra deste tipo de violência.

    • Obrigada, Bruna. De onde você é?
      Aqui são casos puníveis também, em teoria… Na prática, a violência contra a mulher é algo muito naturalizado por aqui, infelizmente, o que acaba dificultando um pouco as coisas.

  49. Obrigada pela resposta, sou de uma pequena cidade portuguesa no meio das montanhas que se chama Vila Real. Mas oiço os casos vindos de outras regiões do país e do estrageiro não sei como é possível tal estupidez.

  50. Bom dia!
    Parabéns pelo texto. Dá pra ver que você fez a lição de casa. Entrei neste site com objetivo de melhorar como marido. Percebi que em muitos aspectos posso fazê-lo. Porém tenho que dizer que me senti muito ofendido. Penso que você é como os agressores que aponta, não é desta forma que as coisas mudam ou melhoram. Criança, pra mim você foi, de alguma forma agredida por um homem. Peço desculpas, pois nem todos nós somos assim, porém penso em outra alternativa que seria apologia ao lesbianismo, se for este o caso, você prestará as contas com Deus por usar seu conhecimento e influência para convencer a quem puder que homem é o que você descreve aqui. Realmente, você deve ter descrito seu avô, seu pai, seu tio, seus demônios. Porque eu sou homem, de uma família de homens. Sou casado e amo minha mulher.

    • Não sou como os agressores que aponto, porque não machuco e violento pessoas 🙂 Ao fazer uma simetria absurda dessas sem se atentar para a quantidade de crimes contra a mulher simplesmente pelo fato de ela ser mulher (sem contar crimes específicos contra pessoas que por outros motivos são inferiorizadas e/ou escapam da “norma”), você claramente mostra a sua indiferença com a questão. Não, não sou uma criança também, sou uma mulher, adulta, inteligente e crítica. É dessa forma que as coisas mudam sim, deixando elas bem descortinadas, visíveis, ditas e pouco me importa se te ofende, uma mulher machucada que deveria ser muito mais ofensivo. Leia algumas estatísticas do nosso país e outros textos e depois a gente conversa.

  51. ola, ja fui chamado de viado porque respeitei demais as mulheres,continuo respeitando
    com toda certeza ja fiz tudo o que voce falou
    é ainda muitas mulheres me perguntam se sou viado
    pelo menos as mulheres com quem sai so queriam sexo,fui taxado de viado por um bom tempo,no trabalho elas me olhavam e riam porque fui educado com elas.Sera que voce ta certa?
    ja fui carinhoso,amavel,brincalhão nunca forcei nada,não acho que eu seja misogino,
    existem mulheres é mulheres.
    obrigado

    • Airton, infelizmente muita gente (homens e mulheres) assimilam a masculinidade padrão como algo desejável, mesmo que ela seja em muitos casos tóxica para a própria pessoa e principalmente para quem está ao redor. De qualquer modo, ‘viado’ não é xingamento, é só uma orientação sexual, então não deixe isso afetar sua boa educação. Também já fui chamada de ‘sapatão’ em vários momentos da vida por não parecer a mulher ‘padrão’ (tanto em aparência quanto em comportamento, depende da ocasião) e nunca me importei. Isso diz mais sobre quem está falando essas coisas de modo pejorativo…

COMENTE! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s